Conheça 5 profissões promissoras para 2012

Por Rafael Ferrer, de INFO Online

A área de TI no Brasil está aquecida e as empresas deste ramo procuram profissionais qualificados para preencher as vagas abertas.

O Brasil é o 8º maior mercado de TI do mundo e deve crescer 7,5% em relação a 2010, de acordo com a IDC, consultoria especializada em TI. “Um mês atrás a empresa onde trabalho possuía 60 vagas e procuramos alucinadamente por profissionais com a qualificação exigida”, diz Hamilton Berteli, CTO da Avanade Brasil,  empreendimento conjunto da Accenture e da Microsoft.

Segundo Berteli, a grande oferta de vagas em diversas áreas reflete como o mercado de TI está aquecido. O diretor, com base em pesquisas internas, tendências da tecnologia e estudos de consultorias, acredita que profissionais especializados em determinadas áreas irão se destacar em 2012.

Veja abaixo:

1 – Programador de aplicações móveis – A criação de apps para dispositivos móveis será destaque nos próximos meses, especialmente para os profissionais com conhecimento em linguagem multiplataforma, segundo Berteli. “Haverá grande procura pela tecnologia HTML 5 porque esta plataforma roda em mais de um sistema operacional, seja iOS, Android ou Windows Phone”, diz.

2 – Engenheiro especializado em tecnologias colaborativas – De acordo com o CTO, a implementação de plataformas sociais dentro das empresas é uma forte tendência. “Esta cultura começa a penetrar nas companhias, que estão acostumadas a manter a comunicação apenas por e-mail. Para esta área, o profissional deverá ter conhecimentos em organizações de portais, especializações em Web 2.0 e até biblioteconomia por causa do modelo de busca”, diz.

3 – Inteligência empresarial (BI) – Os profissionais desta área serão requisitados para coletar e organizar qualquer operação que envolva a corporação, inclusive estudos com base em divulgações dos usuários nas redes sociais. “A disparidade gigante de sistemas e dados não estruturados exige a demanda do profissional especializado em Big Data e, principalmente, saber integrar estes dados dentro da visão de inteligência de negócios”, diz Berteli.

4 – Analistas de governança corporativa – Até o ano passado, o forte era a arquitetura orientada a serviços (SOA). Hoje, a atenção está voltada para a segurança dos dados e serviços que estão na nuvem, segundo o diretor. “Os analistas deverão orientar e assegurar a área de negócios, por exemplo, o controle das informações que não estão em casa”, diz.

5 – Gerente de TI e gerente de projetos – Dificilmente estes cargos saem de moda, principalmente por causa das novidades, mas é necessário reciclar o conhecimento, diz Berteli. “A faculdade proporciona parte do conhecimento da área, mas é importante contar com uma boa infraestrutura no local de trabalho, pois o profissional também aprende na prática”, afirma. Além disso, é recomendável realizar treinamentos, participar de simpósios, trocar informações com outros profissionais e obter certificações para provar que domina o assunto, diz o diretor.

fonte: info.abril.com.br

Anúncios

Cinco métodos para reter profissionais talentosos

NÃO ESPERE PERDER OS MELHORES PARA FAZER DA RETENÇÃO UMA ESTRATÉGIA VITAL PARA OS NEGÓCIOS.

John Reed, da Computerworld/US

 

Profissionais falam sobre seus trabalhos com amigos e colegas, as experiências e impressões e têm mais peso do que qualquer material de recrutamento. Em tempo de economia aquecida e colaboração em alta nas redes sociais, esse  cenário vai se tornar cada vez mais valioso,  já que a busca por talentos cresce em todo o mercado.

Não espere perder um funcionário-chave da equipe para fazer da retenção uma prioridade.

Abaixo, veja cinco formas de manter seus profissionais mais importantes envolvidos e motivados.

1. Forneça as ferramentas adequadas. Profissionais de TI que se sentem prejudicados por tecnologias ultrapassadas ou recursos limitados podem rapidamente se tornarem frustrados e entediados. Isso não significa que a companhia deva dedicar metade do orçamento para implementar as mais recentes soluções e gadgets. Mas isso significa que a companhia deve seletivamente investir em ferramentas que irão manter a equipe desafiada e estimulada. A liberdade para explorar tecnologias emergentes – mesmo aqueles que não têm ainda um benefício de negócios óbvio – pode gerar inovações.

2. Oriente sobre o trabalho deles.
 Certifique-se de que os funcionários entendam o motivo do trabalho deles, não apenas saibam fazê-lo. Lembrar a sua equipe da importância da área em que a atuam para organização como um todo e, por sua vez, o impacto da organização no mercado. Ao iniciar um projeto, por exemplo, explique como cada um poderá ajudar os negócios a atender melhor os clientes e a cumprir as metas.

3. Mantenha o canal de comunicação aberto. Esperar que problemas sejam levados até o seu conhecimento pode gerar aborrecimentos. Solicitar a contribuição construtiva, não apenas no nível do grupo, mas também um a um é uma opção interessante. Se um membro da equipe parece relutante em dividir os problemas, cite um exemplo de uma dificuldade que foi superada, pois foi criada e dirigida desde o início. Mesmo que um obstáculo não possa ser resolvido imediatamente, dê voz aos que podem minimizar os prejuízos.

4. Atualização de remuneração. 
Regularmente, reavalie salários e benefícios para se certificar de que eles estão em linha ou a um passo à frente dos padrões do mercado. Embora o salário não seja o fator mais importante para cada funcionário, pagamento inadequado é o caminho mais comum para anular os esforços de retenção de talentos.

5. Liberte seu potencial.
 Para manter a motivação, os funcionários mais valiosos podem exigir mais liberdade do que possuem hoje. Conceda aos profissionais a liberdade de assumir riscos razoáveis e tentar novas abordagens aos projetos e problemas. Incentive ainda um ambiente em que falha ocasional é vista como um custo necessário para fazer negócios e crescer. Seus melhores funcionários irão gostar do desafio e desenvolver um forte senso de propriedade de seus trabalhos.

Métodos de retenção como esses não giram em torno apenas de incentivar os profissionais mais produtivos. Quando a companhia investe para manter a equipe envolvida – e estabelecendo a organização como um ótimo lugar para trabalhar – torna-se um local em que todos querem atuar.

fonte: cio.uol.com.br

Retenção de talentos continuará a desafiar as empresas em 2012

Com busca por profissionais de TI em alta, CIOs devem criar estratégias para manter a equipe. Veja algumas dicas.

Carolyn Duffy Marsan, do Network World (US)

 

A retenção de pessoal de TI é considerada por analistas do setor um dos maiores desafios dos CIOs em 2012. Três tendências estão trazendo o assunto à tona:

1. A contratação de mão de obra em TI está em ascensão e a concorrência é alta, tentando profissionais com salários elevados e oportunidades de crescimento na companhia.

2. Os profissionais mudam de emprego com frequência, com média de um ano ou dois em uma posição antes de buscar nova oportunidade.

3. Os Baby Boomers estão próximos da aposentadoria.

“Rotatividade de pessoal de TI é provavelmente o meu problema mais importante e tem sido assim nos últimos 12 a 15 meses”, diz Louis Trebino, CIO e vice-presidente sênior da Fox Harry Agency (HFA), provedor de direitos serviços de licenciamento, gestão e royalties para a indústria da música baseado em Nova York.

Trebino diz que tem uma equipe leal de desenvolvedores trabalhando em aplicativos que estão na empresa de cinco a 15 anos. Mas ele está presenciando um turnover significativo de desenvolvedores Java, que ficam na companhia por um ano ou menos. O volume de negócios na equipe de desenvolvimento web está tornando mais difícil para a HFA mudar seu modelo de negócios já que a indústria da música migra cada vez mais para o universo on-line.

“Sem contar com pessoal experiente, o tempo de entrega aumenta”, reflete Trebino. “Isso nos coloca em posição muito desconfortável para ter esse tipo de volume de negócios porque o conhecimento continua caminhando para fora da companhia. Investimos em treinamento de pessoas e com o boom do mercado elas se foram. Essa tem sido minha maior luta e preocupação”, afirma o executivo.

Em 2010, a rotatividade do pessoal de TI em todo o mundo era de apenas 3%. Em 2011 saltou para 5% de acordo com o instituto de pesquisas Gartner. Lily Mok, vice-presidente de pesquisa do Gartner, diz que os CIOs precisam avaliar seus funcionários e descobrir o que é fundamental para o sucesso do departamento de TI e assegurar que as pessoas se sintam valorizadas.

“Você precisa saber quem está saindo e por que eles estão deixando a empresa”, aconselha Lily. “Mesmo se a companhia tiver volume de negócios de 1%, que pode ser demais se esses 1% estão em papéis críticos e têm habilidades críticas.”

Oportunidades de emprego para profissionais de TI devem continuar em alta em 2012, levando mais funcionários-chave a deixar a empresa. “Não esperamos uma desaceleração. A taxa de desemprego em tecnologia é de 4,1%, por isso é um clima muito bom para a TI”, afirma Alice Hill, diretor-gerente do Dice.com, site de empregos.

Uma pesquisa realizada em dezembro pelo Dice.com com 1,2 mil gerentes de TI dos Estados Unidos identificou que 65% dos entrevistados vão contratar profissionais de TI no primeiro semestre de 2012. Um número significativo (27%) planeja ampliar a força de trabalho na área em mais de 20%. A maioria dos empregadores procura profissionais de TI com seis a dez anos de experiência, seguidos por trabalhadores com dois a cinco anos de experiência.

A alta procura está causando falta de mão de obra em muitos locais, aponta a Dice.com. A demanda supera a oferta também para profissionais com habilidades e experiência em virtualização de aplicativos móveis, desenvolvimento e computação em nuvem.

A escassez de profissionais de TI vai piorar a medida que os baby boomers se aposentam, especialmente no setor de governo.

Lily recomenda que os CIOs criem um plano de força de trabalho de dois ou três anos, incluindo profissionais para as funções mais críticas e os riscos para a organização se essas pessoas deixarem a companhia. Ela diz que os CIOs devem fazer um esforço para que os Baby Boomers transfiram seus conhecimentos para os mais jovens antes que se aposentem.

Com sinais de recessão mundial, nem tudo está perdido para os CIOs com orçamentos de TI limitados para 2012 e ainda assim querem manter ou contratar pessoal. Estudos apontam que os profissionais de TI estão dispostos a aceitar corte salarial com horário flexível, incluindo trabalhar remotamente.

“Existem oportunidades em torno de retenção quando você oferece um ambiente de trabalho mais moderno”, diz Lily. “Webcans não são caras. É possível criar uma força de trabalho virtual e dar às pessoas um ou dois dias por semana para trabalhar em casa”, afirma a analista.

fonte: cio.uol.com.br

As mídias sociais e as inovações coletivas

Hierarquias rígidas em tempos de web 2.0?

Proibir ou incentivar o uso das mídias sociais no trabalho?

Funcionários ou colaboradores? Verticalização do conhecimento?

Comunicação unidirecional ou bidirecional?

Temos uma nova geração de colaboradores, que aprendeu a pesquisar no Google, a conversar com o mundo com comunicadores instantâneos, a formar redes sociais de acordo com seus interesses em plataformas como o Facebook, uma nova economia emergente que proporciona uma diversidade maior de empregos e com isso uma oportunidade de escolhas muito maior, desta forma o estímulo à colaboração e a realização de tarefas motivadoras é um desafio para organizações que buscam motivação e produtividade em seu ambiente de trabalho. As mídias sociais nos trouxeram e fortaleceram a cultura do “compartilhar e/ou curtir” conhecimento e novas informações. Este ano,  na “primavera árabe” as informações compartilhadas no Twitter, por exemplo, ajudaram a derrubar ditaduras.

Conceitos como o Crowdsourcing, o Crowdfounding, a liderança aberta, a cco-criação, o open inovation, o social media marketing fazem parte de um leque de possibilidades para a existência de inovações.

É nesse contexto que surgem os consumidores que ‘atuam’ em conjunto. Com eles, nascem também as Startups, nas quais empreendedores idealizam empresas focadas em nichos específicos no ambiente digital, que já nascem com a cultura de empresas com gestão horizontal, com os estilos de gestão do Facebook e do Google, por exemplo.

Segundo a Wikipédia, maior enciclopédia do mundo na Internet, Inovação significa: novidade ou renovação.

A palavra é derivada do termo latino innovatio, e se refere a uma ideia, método ou objeto criado que pouco se parece com padrões anteriores.

2012 será um ano em que a presença da inovação coletiva será ainda mais relevante e trará novas possibilidades ao marketing, mas também na gestão e no desenvolvimento de processos inovadores.

Fonte: idgnow.uol.com.br

**************************************************

Faça parte da empresa DANRESA no LinkedIn

17 previsões para 2012 em tecnologia

As mudanças trazidas pelos dispositivos móveis e pela computação em nuvem tendem a se acentuar em 2012

São Paulo — Como acontece todos os anos, os principais oráculos da tecnologia começam a divulgar suas previsões para 2012. A IDC soltou uma lista há alguns dias e o Gartner Group liberou outra hoje. Ambas são baseadas em análises do mercado elaboradas pelos especialistas das respectivas empresas. Confira dez tendências em tecnologia feitas por elas para 2012 e os próximos anos.

A IDC prevê que, em 2012, o mercado mundial de tecnologia da informação vai movimentar 7% mais dinheiro que em 2011. O crescimento previsto é similar ao deste ano, estimado em 6,9%.

 2 A China ultrapassa o Japão

 Do total que será investido em TI no mundo, 28% serão gastos nos países ditos emergentes. E a China deve ultrapassar o Japão em gastos com TI.

 3 Tablets conquistam as empresas

 Até 2016, pelo menos metade dos usuários de e-mail empresarial vão ler e escrever suas mensagens num tablet ou outro dispositivo móvel, diz o Gartner.

 4 Os aplicativos saem do PC

 O Gartner prevê que, até 2015, os projetos de desenvolvimento de aplicações para smartphones e tablets vão ser quatro vezes mais numerosos que os projetos de aplicativos para PCs.

 5 O Kindle Fire ganha espaço

 Para a IDC, o Kindle Fire, da Amazon, vai conquistar 20% do mercado de tablets em 2012. É um número notável para uma empresa que acabou de chegar a esse mercado, onde já existem líderes consolidados como a Samsung e, claro, a Apple.

 6 O mundo móvel entra em guerra

 Na análise da IDC, 2012 será um ano decisivo na batalha dos sistemas móveis. O Android deve continuar na liderança, seguido pelo iOS. E o ano será crucial para Microsoft, RIM e HP, que deve voltar à disputa.

 7 A Microsoft pode comprar a Netflix

 Para a IDC, o sucesso do Windows 8 nos tablets é crucial para a Microsoft. Mas isso depende de a empresa comprar ou fazer uma aliança com um provedor de conteúdo na nuvem, como a Netflix.

8 O dinheiro vai para a nuvem

Para a IDC, a computação em nuvem vai crescer quatro vezes mais rapidamente que o mercado de TI em geral. Em 2012, os serviços na nuvem devem movimentar mais de 36 bilhões de dólares. Esse mercado será disputado por Amazon, Google, IBM, Microsoft, Oracle, Salesforce.com, VMware e outras.

 9 Os aplicativos também vão à nuvem

 A IDC vê uma migração em massa rumo à computação em nuvem em 2012. Mais de 80% dos novos aplicativos corporativos serão voltados para a nuvem. Das aplicações já existentes, 2,5% serão portadas para a nuvem.

10 A segurança preocupa

 Nas contas do Gartner, no final de 2016, mais de 50% das mil maiores companhias do mundo vão armazenar dados confidenciais dos clientes em serviços terceirizados de computação em nuvem. Isso deve aumentar as preocupações com a segurança. 40% das empresas vão exigir testes de segurança independentes ao contratar esses serviços.

 11 O crime cresce

 Até 2016, o impacto financeiro dos crimes digitais vai aumentar 10% ao ano, diz o Gartner. A razão será a descoberta de novas falhas de segurança nos sistemas.

 12 A energia encarece os serviços

 Até 2015, os preços de 80% dos serviços na nuvem vão incluir uma sobretaxa global de energia, prevê o Gartner.

 13 Carros e televisores entram na internet

 O número de aparelhos eletrônicos de consumo conectados à internet vai superar o de computadores em 2012. A conta, da IDC, inclui desde sistemas a bordo de automóveis até televisores e outros produtos de entretenimento doméstico.

 14 A montanha de dados cresce

 O volume de dados digitais no planeta vai crescer 48% em 2012, atingindo 2,7 zettabytes (cerca de 2,7 sextilhões de bytes) na estimativa da IDC. Para 2015, o volume previsto é 8 zettabytes.

 15 Big data é desafio

 A análise de grandes volumes de dados, conhecida como big data, estará no radar das empresas em 2012. Mas, até 2015, só 15% das maiores companhias vão conseguir explorar essa tecnologia para obter vantagem competitiva, diz o Gartner.

 16 A Amazon chega à maioridade

 A Amazon vai entrar para o clube das empresas com faturamento superior a 1 bilhão de dólares em TI, diz a IDC.

 17 A bolha estoura

 Para o Gartner, há uma bolha de investimentos em redes sociais e ela vai explodir em 2013. Em 2014, será a vez das companhias que desenvolvem aplicativos sociais para empresas, área onde os especialistas veem outra bolha sendo inflada.

Fonte: info.abril.com.br

DANRESA investe na capacitação dos funcionários para driblar falta de profissionais qualificados no mercado de TI

A falta de profissionais de tecnologia da informação capacitados no mercado de trabalho levou mais uma empresa, desta vez a DANRESA, consultoria em TI, a adotar ações focadas na qualificação dos funcionários.

Segundo Daniel Porta, sócio-diretor da empresa, mais de 10% da equipe já recebeu bolsas de estudos integrais e parciais de cursos técnicos, graduações e pós-graduações; como garantia, os profissionais se comprometem a não abandonar o curso. A DANRESA também investe em treinamentos como boas práticas de relacionamento com o cliente e etiqueta empresarial.

“Sabemos da importância da capacitação e incentivamos nossa equipe a ir além de conhecimento técnico. Queremos que os nossos funcionários tenham sensibilidade para fazer o diagnóstico de novas oportunidades de negócios nos clientes que estão alocados. Assim, impulsionamos o crescimento do profissional e da empresa”, explica.

Esse é o caso de Cauê Henrique, analista de redes júnior da DANRESA. Ele está fazendo um curso técnico de MCITP Server Administrator desde fevereiro, pago integralmente pela DANRESA. “Quando decidi fazer o curso, conversei com os gestores da empresa, que me ofereceram a bolsa. Com certeza essa experiência vai melhorar a qualidade do meu serviço, além de trazer perspectiva de aumento no meu salário”, explica Cauê.

Para ajudar nessa capacitação, a empresa firmou parcerias com universidades do ABC Paulista, onde a DANRESA está localizada. As principais são o Instituto de Ensino Superior Santo André (Iesa) e a Universidade Metodista de São Paulo (Umesp), quefornecem descontos nos cursos para os funcionários da empresa e a indicam para alunos que procuram empregos. “Essas parcerias são importantes, pois, compreendendo as necessidades das empresas, podemos adequar nossos cursos ao mercado”, diz a professora Marli Donizeti de Oliveira, gerente do Núcleo de Educação Continuada e Corporativa da Umesp.

Outros títulos da matéria:
Empresa de TI adota parceria com universidades para driblar o apagão profissional
DANRESA investe na capacitação dos funcionários

Veja mais notícias na página DANRESA na Mídia.

Vaga na DANRESA: Consultor Analista .NET Sênior

A empresa DANRESA Consultoria de Informática, especializada na área de consultoria em tecnologia da informação (TI) planeja expandir seu quadro de pessoal.

Nova vaga disponível: Consultor Analista .NET Sênior

Atividades a serem desempenhadas:
Desenvolvimento de novas aplicações corporativas;
Manutenção em aplicações legadas;
Participação no planejamento de soluções a serem construídas usando plataforma .NET.

Formação:
Curso superior relacionado a Tecnologia de Informação (Processamento de Dados, Análise de Sistemas,
Ciência da Computação e afins).

Curso de Especialização (desejável):
Certificação em uma ou mais ferramentas de desenvolvimento para plataforma .NET.

Idiomas:
Inglês (leitura).

Experiência anterior:
Desenvolvimento de aplicações construídas usando plataforma .NET.

Conhecimentos técnicos específicos:
.NET 2.0/3.5, Orientação à objetos, Threads, WF, WCF, Transact SQL para SQL Server 2005 ou superior;
Boas práticas de desenvolvimento (refactoring, design patterns, test-driven development).

Horário de Trabalho: 8 às 17 / 9 às 18 (160 horas/mês)

Enviar currículo para rh@danresa.com.br.

Outras vagas para os seguintes cargos:

Analista de servidores;

Analista desenvolvedor JAVA;

Desenvolvedor  .NET (pleno).

Mais informações no site DANRESA.